Crítica | Garra de Ferro - Estabelece um equilíbrio delicado entre personalidades públicas e aspirações pessoais, explorando o impacto avassalador do legado na identidade individual.

Divulgação | California Filmes

TítuloThe Iron Claw (Título original)
Ano produção2022
Dirigido porSean Durkin
Estreia
07 de março de 2024 (Brasil)
Duração 130 Minutos
Classificação16 - Não recomendado para menores de 16 anos
Gênero
Drama
País de Origem
Estados Unidos 
Sinopse

O longa, escrito e dirigido por Sean Durkin, conta a história real de uma família de lutadores que, além de terem que se enfrentar no ringue, também precisam lidar com uma série de tragédias pessoais, que ficaram conhecidas como “a maldição dos Von Erich”.

• Por Alisson Santos
• Avaliação - 8/10

O wrestling profissional gira em torno de provações e triunfos, mas nenhum roteirista conseguiu escrever as tragédias implacáveis da família Von Erich com tanta maestria quanto Sean Durkin. Garra de Ferro desvenda a emocionante saga da família, cujo legado no mundo do wrestling profissional é tão marcado pelo brilho quanto pela tristeza. Sob os holofotes da direção e roteiro de Sean Durkin, a narrativa investiga a vida desta dinastia de luta livre tendo como cenário vibrante o Texas dos anos 80. O filme é mais do que um mero relato do início da popularidade da luta livre nos Estados Unidos antes de se tornar um fenômeno mundial, mas um estudo comovente da ambição, da lealdade familiar e do custo angustiante de perseguir sonhos que não são seus.

Zac Efron apresenta a atuação mais brilhante de sua carreira como Kevin Von Erich. Ele passa por uma transformação dramática e encarna Kevin com uma profundidade que captura a essência de um homem que luta não apenas no ringue, mas também com o peso do passado histórico e conturbado de sua família. Ao lado dele, a interpretação de Fritz Von Erich, o patriarca da família, feita por Holt McCallany, dá vida à figura complexa de um pai cujos sonhos para seus filhos se tornam um impulso implacável que ameaça consumir todos eles. O elenco, incluindo Jeremy Allen White e Harris Dickinson, enriquece o filme com retratos autênticos de irmandade, com seus altos e baixos enquanto disputam a aprovação do pai.

Divulgação | California Filmes

Garra de Ferro deixa claro, com muita clareza, que o mundo da luta livre profissional é brutal, e também que as pessoas que lutam para viver o amam e o levam muito a sério. Isto não é uma sátira. Isso entra na mente e no ginásio da família Von Erich, e quando eles começam a sucumbir à brutalidade do ringue, destruindo uma bela irmandade, o público sente isso visceralmente. A dor de Kevin Von Erich é toda a nossa dor.

O filme deixa de fora alguns aspectos importantes da verdadeira história dos Von Erich, como um casal de esposas, a acusação de Kerry no condado de Dallas por porte de cocaína e, mais significativamente, um quinto irmão, Chris, que sofreu sua própria tragédia. Portanto, não é a história completa, mas conta o suficiente. Em última análise, Garra de Ferro estabelece um equilíbrio delicado entre personalidades públicas e aspirações pessoais, explorando o impacto avassalador do legado na identidade individual.

O longa estreia no dia 7 de março nos cinemas nacionais.

Comentários

Postar um comentário